NOTÍCIAS Notícias de Minas

Reestruturação do RH da Saúde: Processo…

IOS vencedora de chamamento público vai recrutar profissionais para atuar nos serviços especializados e em parte da urgência/emergência

Em mais um passo do plano de reestruturação dos recursos humanos (RH) da Saúde, iniciado em março, a Prefeitura de Betim validou, nessa terça (11), o edital (001/2024) do Processo Seletivo Simplificado (PSS) aberto pelo Instituto de Saúde Nossa Senhora da Vitória (INSV), organização social que passou a gerenciar o Programa de Escalas Assistenciais da Saúde, conforme resultado de chamamento público divulgado na última semana. 

As inscrições para o PSS vão até esta quinta-feira (13), às 23h59, e devem ser feitas pelo site do INSV, que pode ser acessado por meio do link https://tinyurl.com/2adrhsam. No endereço eletrônico é possível, também, conferir o edital na íntegra. As vagas são para contratação temporária de profissionais de nível técnico e superior. O resultado final também será divulgado no site do INSV.  

A seleção do instituto por chamamento público substitui o contrato entre o município e o Hospital Evangélico, que atualmente terceiriza a contratação de profissionais de saúde para o programa Escala Certa, que começou a ser desmobilizado pela prefeitura na última quarta-feira (5). Com isso, o INSV passa a gerenciar as escalas assistenciais da atenção secundária (serviços especializados), como a saúde mental, e de parte da terciária (serviços de urgência e emergência).

“O contrato entre a prefeitura e o Hospital Evangélico já tinha prazo determinado e será encerrado em julho. Com isso, iniciou-se a convocação dos trabalhadores terceirizados, contratados por essa associação, para assinatura de aviso prévio e processo de acerto de todos os direitos rescisórios, que serão respeitados e honrados. É importante frisar que adiantamos um pouco essa desmobilização para que os profissionais que estão sendo desligados tenham justamente a oportunidade de participar do PSS que será realizado pelo INSV. Com isso, acreditamos que de 70 a 80% dos trabalhadores que vão cumprir aviso prévio possam continuar atuando na rede, caso queiram”, explica a secretária municipal de Saúde, Jaqueline Santana.